//Jovens veem ensino profissionalizante como meio de acesso ao 1º emprego

Jovens veem ensino profissionalizante como meio de acesso ao 1º emprego

Pesquisa do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) aponta que a maioria dos jovens brasileiros considera a educação profissionalizante uma importante via de acesso ao primeiro emprego. O estudo “Os Jovens, a Educação e o Ensino Médio”, divulgado nesta segunda-feira (7), revela que 76% dos que frequentam, frequentaram ou pretendem fazer um curso técnico avaliam o diploma como vital para ingressar no mercado de trabalho mais rapidamente e 79% o consideram importante para seu futuro profissional com um todo. As informações são da Agência Brasil.

Os dados foram obtidos a partir de entrevistas feitas com 2.002 jovens de 13 a 18 anos, entre os dias 8 e 18 de outubro. Do total de entrevistados, apenas 16,6% cursaram ou estão cursando o ensino técnico. Mas quase 51% dos que nunca frequentaram o ensino profissionalizante manifestaram o desejo de fazê-lo. 34% disseram não ter pretensão de se matricular em um curso técnico e pouco mais de 13% não souberam responder à pergunta.

Do total de entrevistados, 42% consideram boa a qualidade do ensino técnico oferecido no Brasil. Quase 8% a consideram ótima e 29%, regular. 4% dos entrevistados avaliam o ensino técnico como ruim (2,9%) ou péssimo (1,1%) e quase 16% dos jovens não souberam responder. Os cursos são mais bem avaliados nas regiões Sudeste, Norte e Centro-Oeste, onde mais da metade dos entrevistados os consideram bons ou ótimos.

Embora a ampla maioria não tenha apontado aspectos negativos, as críticas mais ouvidas pelos entrevistadores foram a curta duração dos cursos e a pouca oferta, seguida pela crença de que a carreira profissional seria pouco promissora e a formação ruim.

As críticas não encontram eco entre a parcela dos entrevistados que cursaram ou estão cursando o ensino técnico. Nesse público, que equivale a apenas os 16,6% dos jovens ouvidos, a ampla maioria disse estar bastante realizada com sua formação. Além disso, 48% deles pretendem fazer um segundo curso técnico.

Primeiro emprego

Segundo o diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi, a educação profissional é sim um passaporte real para o primeiro emprego. “É o que acreditam os jovens, que apontam que o curso técnico tem elevada importância no seu futuro”, comentou.

Para Lucchesi, é preciso fortalecer o ensino profissionalizante para resolver o “problema da matriz educacional brasileira”. “Há um pequeno contingente de jovens que fazem a educação profissional junto com a regular, mas, segundo outras pesquisas que realizamos, 90% dos brasileiros creem que a educação profissional vai dar mais oportunidade para os jovens ingressarem no mercado de trabalho e resultará em melhores salários”, comentou o diretor-geral.

O Senai foi citado pela maioria dos entrevistados (22%) como sendo a principal instituição de ensino técnico do país. Em seguida vieram o Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, 11%); as ETECs (10%); os institutos federais (9%); o Sesi (Serviço Social da Indústria, 5,9%) e as Fatec (Faculdades de Tecnologia, 2,6%).

Além de apontar a educação profissional como um “passaporte real para o primeiro emprego”, com maiores possibilidades de progresso na carreira, Lucchesi destacou que o ensino técnico pode auxiliar os jovens de menor poder aquisitivo a, posteriormente, frequentarem um curso universitário.

“O ensino técnico não é excludente do ensino superior. Muitas vezes, é o caminho que vai viabilizar o prosseguimento dos estudos, já que o jovem de menor poder aquisitivo terá uma carreira, um trabalho que possibilite que ele curse uma faculdade”, acrescentou o diretor-geral. Via: Folha PE

Site: Guia Pernambuco